quarta-feira, 31 de março de 2010

Dow's Vintage 2007 - 100 pontos na Wine Spectator

BY Estado Liquido - Wines & Spirits IN , No comments

Conceituada revista norte-americana deu pontuação máxima ao vinho da Symington e descreve-o como "o melhor Dow alguma vez produzido".

O vinho do Porto Dow's Vintage 2007 vai receber a pontuação máxima, cem pontos, na edição de Maio da Wine Spectator, uma das mais prestigiadas revistas de vinhos do Mundo.

O vinho está incluido na secção "Coleccionáveis" da publicação, que o considera "o melhor Dow's alguma vez produzido" e aconselha a sua reserva pelo menos até 2022.

A revista norte-americana vai ainda atribuir noventa e seis pontos ao Graham's Vintage 2007, também da Symington Family Estates.

Em declarações à Lusa, o enólogo-chefe da Symington mostra-se satisfeito com as pontuações atribuídas pela Wine Spectator. "Uma pessoa fica sem palavras quando se chega aos cem pontos. Sinto uma enorme satisfação, qualquer produtor procura que isto aconteça uma vez na vida", disse Charles Symington, co-autor dos vinhos premiados, que afirmou ainda serem muito raros os vinhos que recebem tal pontuação. "Em 2008 houve um vinho e em 2009 nenhum. São, também, muito poucos os que chegam aos noventa e seis pontos".

Fonte: jornal de noticias




sábado, 27 de março de 2010

Herdade da Maroteira - Vinhos Cem Reis

BY Estado Liquido - Wines & Spirits IN , , No comments


A Herdade da Maroteira pertence desde há várias gerações à família do actual proprietário, Michael Brian Reynolds Mollet, directo descendente do primeiro membro da família Reynolds (irmão do famoso pintor inglês Sir Joshua Reynolds) a estabelecer-se em Portugal.
Inicialmente, a família Reynolds exerceu a sua actividade no comércio do vinho na cidade do grande Porto, vindo posteriormente a estabelecer-se na região do Alentejo na procura e aquisição de inumeras florestas de cortiça, tanto em Portugal como em Espanha, tendo inclusivé possuido fábricas em ambos os países.

Enquanto que o objectivo principal desta herdade tem vindo desde sempre a ser a cortiça, algumas das herdades pertencentes à família Reynolds diversificaram a sua actividade, produzindo vinho, entre as quais se destacam a Herdade do Mouchão (bem conhecida pela qualidade do seu vinho), Quinta do Carmo e Herdade das Carvalhas (fazendo actualmente parte do grupo Rothschild).

Um dos filhos do actual proprietário, Philip Edward Reynolds Mollet, gere esta propriedade de aproximadamente 550 hectares. Philip foi responsável pela plantação de uma vinha, inicialmente, de 10 hectares, da qual uma quantidade pequena de vinho de qualidade é produzida, sendo as restantes uvas vendidas a adegas locais.

Recentemente, decidiu-se produzir 3000 garrafas de vinho pela comemoração da nota TIENTJE emitida em 1945 pelo seu avô materno, Professor Pieter Lieftinck, que foi o primeiro Ministro das Finanças Holandês após a Segunda Guerra Mundial.
O vinho feito a partir de uma seleccionada vindima manual foi aclamado extensamente por criticos dentro e fora de Portugal. Ao vinho vendido, sob o nome português “CEM REIS”, foi-lhe concedido medalhas de prata no Estoril International Wine Challenge e Mundus Vini na Alemanha, em 2007.


Cem Reis " Syrah Reserva " Tinto 2008

O produtor holandês, bisneto de um ministro das finanças holandês, quis homenagear a ascendência com um rótulo que, colado a Portugal, reproduz uma nota antiga de cem reis. Uma escolha acertada para vestir um vinho de estilo tipicamente novo mundo.

É um vinho directo, volumoso, envolvente, frutado, especiado, macio nos taninos e na acidez, glicerinado e amplo no final de boca. Mas sempre fiel ás origens, mantendo uma "alentejanidade" que o mantém atraente e singular. Beba-o agora e descubra a sensualidade em forma de vinho!

Cem Reis Syrah Reserva 2008 é um vinho muito harmonioso. Notas florais, muita compota e fruto vermelho. Final prolongado, muito perfume e consistente até ao fim. Um verdadeiro Syrah e uma bela surpresa. Altamente recomendado.






Cem Reis " Viognier " Branco 2008

Cem Reis branco foi produzido a partir de uvas seleccionadas da casta viognier. Vindimadas á mão estas foram vinificadas a uma temperatura controlada e o vinho envelheceu durante seis meses em cascos de carvalho francês e em cubas de aço inoxidável.

De cor amarelo citrino, o vinho é intenso e frutado com notas de flor de laranjeira e frutos tropicais. Tem uma textura cremosa resultante do contacto com as borras finas durante o estágio e um final longo e persistente.

Vivamente recomendado.








Para comprar visite a loja online: www.estadoliquido.pt / Vinhos Cem reis

Tem alguma dúvida ou sugestão, contacte-nos: Estado Liquido / Contactos

terça-feira, 2 de março de 2010

Herdade do Mouchão

BY Estado Liquido - Wines & Spirits IN , 1 comment


Herdade do Mouchão - Vinhos


Vastas planícies, pontuadas por algumas florestas e extensos olivais, são a paisagem dominante da região do Alentejo. Foi para aqui que, no início do século XIX, Thomas Reynolds migrou, tendo como objectivo o negócio da cortiça.

Três gerações depois, o seu neto John Reynolds adquiriu uma propriedade de 900 hectares, denominada Herdade do Mouchão. Aqui, à actividade corticeira a família acabou por adicionar a produção de vinhos. Plantaram-se várias vinhas e em 1901 construiu-se uma adega tradicional, de grossas e brancas paredes de adobe e um elevado pé direito, tudo encimado por um magnífico telhado de telha vã portuguesa. Pensa-se que foi também por iniciativa de John que as primeiras plantas da casta Alicante Bouschet foram trazidas de França.

Durante a década de cinquenta, do século XX, a actividade vitivinícola sofreu uma singular expansão que se traduziu por um aumento das áreas de vinha, pelo aperfeiçoamento das tecnologias de vinificação e pelo início da venda de vinhos engarrafados, em detrimento da velha tradição de venda de vinho a granel, com um cunho muito regional.

Um século após a sua fundação, e depois de ter recuperado das expropriações agrícolas que ocorreram após a revolução de 1974, a Herdade do Mouchão continua na posse da família Reynolds, mantendo uma tradição ancestral passada de pais para filhos.

Todo o processo de vinificação se mantém praticamente intocável, preservando a tradicional vindima e a fermentação das uvas em lagares de pedra com pisa a pé. Num mundo enológico em constante evolução, a Herdade do Mouchão mantém-se como sempre foi: uma tradição de família.



Mouchão Tinto 2003

Apresenta um nariz muito complexo, lembrando um vegetal intenso e uma especiaria fina e muito elegante, o paladar é algo rústico, com muita estrutura e riqueza aromática, taninos finos e elegantes com um bom volume.

Revela uma complexidade muito interessante e sente-se uma fruta muito ao de leve, a madeira é de qualidade e denota boa capacidade de evolução em garrafa, final de elevada persistência e delicadeza.






Mouchão Tinto 2005


É o vinho mais importante e emblemático da Herdade do Mouchão. Representa cerca de 30% da produção, sendo o restante distribuído por outras marcas. É um lote onde a casta predominante, Alicante Bouschet, se adicionou uma pequena percentagem de Trincadeira.

O vinho Mouchão apresenta uma cor profunda e concentrada, um carácter especiado e uma estrutura de taninos que permite um longo envelhecimento em garrafa.

O vinho é colocado no mercado quatro anos após a vindima. Dois anos na madeira e outros dois na garrafa.








Ponte das Canas Mouchão 2006

Tem muita cor e aroma intenso, onde o fumado da madeira marca ainda presença notória, mas onde se descobrem também bagas silvestres muito maduras, compotas, sugestões florais elegantes.


É um vinho de estrutura sólida mas suave, encorpado, com taninos redondos e gordos, fruta madura, e final pontuado por notas fumadas, sugestões vegetais e fresca acidez.








Dom Rafael Tinto


Produzido na centenária adega da Herdade do Mouchão, Dom Rafael Tinto é obtido apartir de castas tradicionais alentejanas, como o Aragonez, a Trincadeira e do Alicante Bouchet.

A fermentação ocorre em lagares, com pisa a pés, estagiando posteriormente o vinho em tonéis de carvalho.

O aroma do D. Rafael Tinto é muito equilibrado a frutos vermelhos maduros, não muito forte. Na boca é um vinho com força, mas trata-se de uma força equilibrada, com os taninos bem presentes mas bem maduros.






Dom Rafael 2008 Mouchão Branco

É produzido a partir das castas Antão Vaz e Arinto, mostra uma bela paleta aromática, com sugestões vegetais, casca de fruto, discretas notas de madeira.

Na boca, cheia e cremosa, aparecem sabores minerais a par de sugestões citrinas.

É um vinho gordo mas fresco, amplo e alegre, com um muito interessante toque vegetal no final persistente.




Para comprar com segurança e rapidez, visite a nossa loja online:
http://www.estadoliquido.pt/