quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Harmonização entre Comida e Vinho - Parte II

BY Estado Liquido - Wines & Spirits IN No comments

Sabores chave na comida
Intensidade dos sabores
Os pratos de sabores fortes devem combinar-se com vinhos de igual intensidade no que diz respeito à concentração e aos sabores. Cogumelos selvagens de sabor forte vão precisar de um vinho bem mais robusto do que os pálidos e comerciais cogumelos de lata; um queijo Cheddar maduro ou um queijo da Serra precisarão de um vinho bem mais intenso e encorpado do que um queijo fresco.

ACIDEZ
Os pratos dominados por sabores acídulos ásperos, como limão, lima ou vinagre podem ser difíceis e requerem de alguns cuidados na harmonização. Pratos de natureza acídula requerem vinhos com elevada acidez. No caso do tomate, o qual tem elevada acidez natural, os vinhos italianos são uma boa escolha, já que foram pensados e produzidos para harmonizar com um tipo de cozinha dominada pelo uso do tomate.

DOÇURA
A doçura num prato pode fazer com que o vinho pareça mais seco. Os vinhos doces devem ser sempre mais doces do que a sobremesa que vão acompanhar. Se você tem um saboroso prato que é acompanhado de um molho de frutas ou de molho doce, é importante que o vinho tenha também boa fruta para harmonizar.

SALGADO
Pratos salgados, como as azeitonas, ostras ou outros mariscos, combinam melhor com vinhos brancos refrescantes, secos e de corpo ligeiro, tais como Muscadet, Chablis e Jerez/Sherry Fino. É melhor evitar vinhos tintos, pois os taninos entram em conflito com as iguarias salgadas, fazendo com que o vinho pareça amargo.

ESPECIARIAS
Especiarias picantes, como por exemplo piri-piri, reduzem a doçura nos vinhos e podem fazer com que os vinhos tintos secos pareçam mais adstringentes. As especiarias podem também acentuar os sabores da madeira. Uma boa combinação para pratos especiados são os vinhos produzidos a partir de uvas muito maduras e sumarentas, preferencialmente sem madeira ou apenas com um ligeiro toque de madeira. Vinhos como o Sauvignon Blanc da Nova Zelândia podem funcionar bem com pratos especiados, como também pode um Merlot Chileno maduro e um Riesling Australiano.

FUMADO
Os pratos fumados precisam de vinhos com carácter suficiente para fazer frente à intensidade do fumado. O salmão ligeiramente fumado é um companheiro clássico do Champagne Bruto. Carnes fumadas, tipo porco, podem beneficiar de uma ligeira doçura no vinho, como a que se encontra em alguns Rieslings Alemães. Os sabores fumados do churrasco casam bem com vinhos poderosos como o Shiraz Australiano.

Continua...

0 comentários:

Enviar um comentário