terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Aprender a identificar os aromas do vinho II

BY Estado Liquido - Wines & Spirits IN No comments

Aprender a identificar os aromas do vinho - Parte II


Balsâmico

Aroma resinóide que pode ser devido à variedade, às características do terreno, ou ao estágio (incenso, cedro, pinho, cânfora, etc.).

Baunilha

Odor balsâmico descoberto em numerosos vinhos, que recorda o perfume da baunilha, com origem num éster proveniente de um aldeído fenol ou da baunilha (aldeído também conhecido com o nome de vanilina). A madeira de carvalho das barricas pode dar compostos baunilhados em combinação com os polifenóis do vinho.

Benzol

Odor que recorda o de um dissolvente ou de um verniz.

Caça

Odor animal muito forte, característico dos vinhos evoluídos que sofreram uma forte redução na garrafa.

Cacau

Aroma nobre característico de algumas velhas colheitas. Pode detectar-se em garrafas veneráveis de vinhos tintos.

Café

Aroma café verde, que, muitas vezes, se associa a certas variedades como a Cabernet Sauvignon. Aroma que recorda o café torrefacto, que se encontra em vinhos evoluídos, geralmente de qualidade.

Camomila

Odor que recorda o destas plantas (macela) e que se detecta em alguns vinhos jovens.

Carvalho

Odor derivado do estágio em pipa de carvalho aromático, que deve estar em perfeita harmonia com outras características do vinho (corpo, álcool, tanino, acidez, etc.).

Casca de laranja

Aroma frutado de alguns vinhos.

Cássis

Baga aromática, espécie de groselha preta cujo odor e sabor pode detectar-se em vinhos de grande qualidade (merlot, cabernet sauvignon, pinot noir, syrah, tempranillo). Como todos os aromas frutados, com a passagem do tempo, o aroma de cássis desaparece ou transforma-se.

Castanha

Odor frutado que evoca o da castanha torrada e quente, característico de alguns chardonnays fermentados em madeira, ou o da castanha assada, que aparece em alguns vinhos brancos jovens.

Cebolinho

Odor vegetal de alguns vinhos brancos que evoca o desta planta.

Cedro

Odor da madeira nobre que alguns grandes vinhos possuem, com um matiz balsâmico, de resina nobre, mais perfumado que o odor resinoso do pinho. Nos grandes cabernets sauvignon, este odor balsâmico não procede da madeira de estágio, mas do próprio vinho.

Ceifa do feno

Odor vegetal que recorda o feno cortado ou as fragrâncias dos prados na altura da ceifa.

Celulóide

Odor que evoca o da cânfora. Pertence à família dos aromas a especiarias, dado que a celulóide é uma mistura entre a nitrocelulose e a cânfora.

Cera

Odor característico dos vinhos doces naturais e vinhos brancos licorosos, que evoca o da cera de abelha. É também aroma próprio de vinhos brancos de grande classe, com corpo e um pouco evoluídos.

Cereja

Aroma frutado que aparece em alguns vinhos rosados e tintos. Utiliza-se também para designar cor de certos tintos.

Chá

Odor vegetal que recorda o das folhas de chá em infusão, com as delicadas fragrâncias de rosa aromática. O aroma do chá tem certo parentesco com o do jasmim. Aparece em vinhos brancos envelhecidos em barrica e em alguns tintos mais nobres.

Charuto

O aroma vegetal de tabaco é próprio de vinhos já evoluídos, mas quando recorda o charuto havanês, maduro, é próprio dos vinhos tintos de grande classe.

Chocolate

Odor que evoca o deste alimento, obtido do cacau torrado. É característico de certos vinhos tintos.

Cidra

Odor que recorda a fruta do mesmo nome, de características parecidas com o limão.

Cipreste

Aroma balsâmico que se encontra em certos vinhos nobres.

Cítrico

Odor frutado de certos vinhos que evoca a dos frutos citrinos (sidra, limão, laranja, etc.).

Côco

Aroma agradável que aparece em certos vinhos com estágio em madeira.

Cogumelo

Aroma pertencente à família dos aromas vegetais e também à dos aromas de especiarias. Encontra-se mais facilmente em vinhos longamente estagiados em garrafa.

Compota

Odor frutado que recorda o de frutas cozidas e que aparece em vinhos muito intensos e maduros.

Confeitaria

Odor que recorda o das frutas em compotas, plum cake, frutos secos e rebuçados.

Couro

Aromas que recordam o odor do couro, da pele, da marroquinaria e inclusive da caça. Quando se sobrepõe aos outros aromas é considerado um defeito.


Couve

Odor vegetal, desagradável e muito potente, que recorda o das couves.

Cozido

Odor quente que se detecta em alguns vinhos tintos fermentados em cimento ou em cubas de madeira que sofreram fortes elevações de temperatura durante a vinificação.

Cravo

Odor floral que recorda o perfume que esta cariofilácea exala e que é devido à riqueza natural do vinho em isoeugenol.

Cravo-da-índia

Aroma a especiarias de certos tintos, que recorda o dos botões secos das flores do craveiro. Distingue-se nos grandes tintos de qualidade mediterrânicos.

Crisântemo

Odor floral, característico de alguns vinhos brancos secos, que recorda o desta túbera.



Parte I

0 comentários:

Enviar um comentário